Loja online de Bazar do Oriente - Tapetes Persas
21 2255-3226 / 21 99985-1456

Cadastre-se

Ofertas exclusivas no seu e-mail

Tapetes Persas

A Arte Milenar - Tapetes Persas

O tapete persa é tão velho como o próprio tempo. Devido a sua beleza, complexidade de cores e incomparável variedade de desenhos, goza de fama mundial e extraordinária.

A tecelagem é um dos mais antigos ofícios de que a humanidade tem conhecimento, possivelmente porque tenha surgido da necessidade. Ninguém sabe ao certo, há quanto tempo os tapetes tem sido surgidos, de fato o tapete oriental mais antigo que se tem notícia, o PAZIRIK, tem esse nome porque em 1949 foi encontrado no vale de Pazirik nas montanhas do Altai na ásia central, datado aproximadamente 500 a.c, o tapete está exposto no museu estatal Ermitage em Leningrado, que foi descoberto pelo arqueólogo russo S.I Rudenko, na tumba de um príncipe guerreiro cita. Como acontecia com a realeza de muitas culturas, os nobres citras eram enterrados com seus mais valiosos bens. Por um capricho da sorte, uma inundação da tumba fez congelar o tapete; assim quando encontraram – no há mais de 2 mil anos, depois ele estava extraordinariamente conservado.

Na literatura iraniana no tempo da dinastia Sasanida, foi escrito sobre o tapete famoso chamado Baharestan, que os historiadores citaram sobre o palácio do rei Khosrow Parviz, que tinha quatro tapetes trabalhados em pérolas e pedras preciosas, que em cada tapete mostrava uma estação do ano. Por volta do século XV, foi encontrado o famoso tapete Ardebil conhecido como Sheik Safi, que é uma obra prima do mestre Maghsud Kashani hoje encontra-se no museu Victoria e Albert em Londres, isto é, testemunho de beleza e gosto; a beleza da arte iraniana, que em quase todos os museus mais famosos do planeta poderia encontrar algumas obras neste nível.

As Procedências

Como a maioria dos tapetes orientais, os oriundos dessa região são frequentemente chamados pelo nome do vilarejo, onde foram feitos, do grupo que os teceu ou da cidade onde foram vendidos. Uma grande variedade de desenhos, cores, combinações e estilos são evidentes. Para a maioria das pessoas memorizar esses desenhos não tem nenhum uso prático. Entretanto é útil conhecer os maiores centros persas e os tapetes persas mais importantes são: Kashan – Qum – Kerman – Isfahan – Nain – Tabriz – Sarouk – Hammadan e etc.

 

Tapete Kashan:

Kashan, uma grande cidade na região central do Irã, produziu alguns dos melhores tapetes persas tradicionais. Os tapetes Kashan, geralmente são tecidos com um fio de lã de excelente qualidade sobre urdidura e trama de algodão ou seda e tendem a variar de 200 a 400 nós por pelegada quadrada. Kashan também produz alguns tapetes de pura seda com 600 nós por polegada quadrada. São usadas com frequencia cores como vermelho, cereja, amarelo, laranja e azul-escuro para criar elaborados desenhos detalhados, com elementos pequenos, como flores e pássaros, e são emoldurados com bordas igualmente adornadas. Um dos estilos, conhecidos como Kashan branco, ou Kashan de cinco cores, foi produzido inicialmente nos anos 20, para ser exportado para os mercados americanos e europeu, que geralmente preferem tapetes em cores mais delicadas. Os Kashans brancos tem geralmente um fundo de marfim ou azul claro com desenhos tecidos em vários tons de azul e cinza.

Tapete Qum:

Qum, também localizada na região central do Irã. É famosa por seus tapetes de seda, que podem ser considerados como o que há de melhor nesse tipo de tecelagem persa. Qum também produz alguns tapetes de lã de alta qualidade. Essa qualidade, entretanto, pode ser conhecida tanto na produção em seda quanto na produção em lã. Quando os tapetes são bem feitos são excelentes: quando medíocres tendem a perder qualquer distinção. Virtualmente, qualquer tapete emprega a cor turquesa, seja em pequenos toques ou no campo inteiro; é uma referência a cor singular dos telhados de Qum e não aparece em nenhum outro tapete de nenhuma outra região. A padronagem, geralmente, tem motivos persas tradicionais e são usualmente curvilíneos, retratando flores, pássaros e pequenos animais. Como Qum é considerada uma cidade sagrada o desenho do arco de oração é frequente.

Tapete kerman:

Kerman é localizada ao sul do Irã, é produtora de alguns dos mais refinados e elegantes tapetes feitos hoje em dia. Eles são com frequencia feitos com lã de boa qualidade sobre uma base de algodão com aproximados  200 a 400 nós por polegada quadrada. Kerman produz dois estilos típicos de tapetes, o primeiro é tradicional, apresentando desenhos clássicos, como medalhões, vasos, jardins e árvores da vida que ocupam todo o campo. O segundo é um medalhão central  suave e arredondado, com medalhões menores ornamentais repetidos nos quatro cantos do tapete, uma borda extremante elaborada e um fundo vazio de uma cor só. Os tapetes que apresentam estes desenhos são por vezes chamados de kerman amaricanos porque foram direcionados para o mercado americano no final do séc XIX.

Tapete Ishfahan:

Isfaham, localizada na região central do Irã. A antiga cidade de Isfahan,  já foi capital da Pérsia, produz o que os especialistas consideram os mais finos tapetes de fio de lã do mundo. Eles certamente estão entre os melhores tapetes modernos produzidos no Irã. Os tapetes Isfahan modernos de melhor qualidade são feitos de Kurk (Penugem) e tecidos em trama e urdidura de seda (ou seda combinados) com 300 a 400 nós por polegada quadrada. No final do séc XIX e início do séc XX, os Isfahan eram todos tecidos em algodão com cores escuras e desenhos variados.

Os tapetes Isfahan modernos são mais bem tecidos que os antigos, mas são usualmente em cores pasteis, com desenhos tradicionais finamente executados, que incluem detalhados medalhões circulares enfeitados com flores e garrinhas entrelaçadas, arabescos arredondados e, ocasionalmente, um pássaro. As cores e estilos visam conquistar os mercados europeus e americanos, e apesar de modernos, são extremamente bonitos. Um Isfahan de boa qualidade ou modernos, é considerado um investimento absolutamente seguro.

Tapete Nain:

O pequeno vilarejo de Nain, na região central do Irã, produz tapetes incrivelmente requintados normalmente tecidos com 350 a 400 nós por polegada quadrada. Os melhores tapetes Nain são considerados tão bons quanto os melhores Isfahan, com a diferença fundamental que os tapetes Nain são tecidos sobre uma base de algodão, enquanto os melhores tapetes Isfahan são tecidos sobre seda ou uma combinação de seda e algodão.

Os desenhos dos tapetes Nain consistem de representação de flores, pássaros e borboletas que preenchem o campo, em lugar dos arabescos e botehs abstratos. As cores típicas dos tapetes Nain são o azul-safírico, o marfim, o bege, e o amarelo-claro.

Em termos de valor, os melhores tapetes Nain são normalmente considerados comparáveis aos tapetes Isfahan. Entretanto como os tapetes são considerados comparáveis aos tapetes Isfahan. Entretanto, como os Isfahan são consistentemente de alta qualidade, são normalmente um investimento mais seguro.

Tapete Tabriz:

Tabriz, localizado no distrito Azerbaidjano, a noroeste do Irã, foi um grande centro de comércio de arte no oriente médio. No séc XV, uma vez que era a cidade Persa mais próxima da Europa. Como os tapetes de toda persa passavam por Tabriz em seu caminho para Europa, os tecelões tinham contato com os desenhos de numerosas cidades e os copiavam livremente. Desenhos importatos da China foram incorporados aos padrões persas por esses tecelões. Some-se a isso o fato de Tabriz ter sua padronagem própria chamada Taba-Tabriz que consiste de um medalhão curvilíneo, estilizado num fundo creme com borda florais douradas. As cores dos tapetes Tabriz variam dos pasteis suaves a vermelhos e azuis mais escuros; em geral, com tudo as cores costumam aparecer em tons bastante velados, como ferrugem em lugar do vermelho e verde-floresta em lugar do esmeralda. Quando são bons os tapetes Tabriz são tão finamente tecidos e esteticamente satisfatórios quanto os mais bem-acabados Isfaham e Kashan.

Moud

O tapete Moud feito no estado de Khorasan é um dos tapetes preferidos entre os brasileiros. Sua cor em geral são tons de vermelho e bege. O desenho do tapete Moud é inspirado no tapete Tabriz que é chamado “RIZER MAHI” ou “MAHI” que significa “peixe”.

Normalmente é usado lã de algodão e trama e contratrama de algodão. O nó utilizado é o nó persa.

É um tapete de fácil decoração e muito usado por arquitetos. 

Tapete Sarouk:

Sarouk, um vilarejo na província de Arak, região central do Irã, emprestou seu nome para os tapetes feito nas áreas circunvizinhas, e a maioria deles é de excelente qualidade. São tecidos com fio de lã sobre urdidura e trama de algodão e variam de 150 a 400 nós por polegada quadrada. Normalmente é empregada uma lã de excelente qualidade e as cores utilizadas são o vermelho-vibrante, azul, alaranjado, ocre e ocasionalmente o azul claro, o turquesa ou amarelo limão.

Tapete Hamadan:

A cidade de Hamadan, localizada na região centro-oeste do Irã, empresta seu nome aos tapetes feitos em pequenas aldeias cujos artesões vem para comercializar sua cidade grande. Em função da variedade de origens, os tapetes Hamadan podem estar entre os menos atraentes e de menos qualidade têxtil do Irã. Entretanto, também podem ser bem feitos e excitantes, mesmo que por vezes sejam primitivos. Cada vilarejo tem seu estilo próprio, mas alguns aspectos os reúne. De um modo geral, os tapetes Hamadan, tendem a ser vermelhos azuis ou cores claras com toque de verde, dourado ou ocre. Os desenhos tendem a ser geométricos, com medalhões ou sarouks globais ou esquemas florais. Os tapetes Hamadan são tecidos sobre uma base de algodão, com 30 a 100 nós turcos (diferentes dos persas) por polegada quadrada. Geralmente, a lã é de boa qualidade e não raro misturada com fio de pêlo de camelo e cortada relativamente longa.

Shiraz

Ao contrário do que se poderia esperar, tapetes Shiraz não são feitos em Shiraz, mas em toda a área Estado de  Fars que Shiraz é a capital. Os vários tapetes conhecidos por este nome é, na verdade, tecida por diferentes tribos nômades que viveram durante séculos, no planalto de Fars. O bazar na cidade de Shiraz é o centro de comércio para estes tapetes.

Afshar

Tapetes Afshar,  nome de origem de tribo nômade de origem turca. Apesar de poderoso, no século XVI, a tribo foi, portanto, existem dois tipos de tapete Afshar. Aqueles que, a partir da região de Shiraz tendem a ser espesso, pesado e bastante impuro em design. Aqueles da região de Kerman são mais finos em qualidade, tecido em soft, lã brilhante, e são conhecidos como Kerman-Afshars no comércio.

Os padrões são principalmente geométricos. Uma concepção de um ou dois losangos dentro de um hexágono é comum ser alongado. Motivos de Boteh, ciprestes e A Árvore da Vida (com linhas retas para ramificações) também são populares. As cores são geralmente harmoniosa e suave.

Fios de teia e de trama são feitos de algodão. Os tapetes são tecidos com nó turco. Grandes tapetes são tecidos com o nó turco. Grandes tapetes são raros, com 6 'x 4'6 "e 3'6" 5'x sendo os tamanhos mais comuns.

Bakhtiari

Os tapetes e outras tecelagens associados com a tribo queda Bakhtiaris em dois grupos, o primeiro dos quais pode ser descrito como "tribo" e a segunda como "oficina". O Bakhtiari, como o de muitos outros grandes grupos tribais da Pérsia, usava formato em uma Confederação, em 1867, sob a liderança de um Ilkhan (Supremo Khan ou líder), o Bakhtiari especial sub-tribo dos Ilkans, o Zarasvand, já estavam muito rico por essa altura, possuíam grandes quantidades de Mahall Vale do Chahar a leste das Montanhas Zagros e também grandes áreas a oeste da faixa ao redor da cidade de Shustar.

As tecelagens tribais do Bakhtiari consistem não só de grandes e extremamente ornamentado alforjes e outros recipientes semelhantes, tecidos, mas também tapetes excelentes tecidos em bases de lã, alguns deles muito grande, em comparação com os tapetes da oficina, estas peças baseadas em lã são raros.  Oficinas tapetes, embora também muitas vezes de qualidade magnífica e, por vezes enormes, podem ser distinguidas das peças "tribais" pelo fato de que eles têm bases de algodão. Estes foram feitos em oficinas de vários tamanhos em centenas de aldeias no Vale do Mahall Chahar de propriedade dos grandes Khans da Bakhtiari, bem como em cidades da mesma região, como Shar Kord e Shalamzar, que também é proprietário. Na primeira parte do século XX, quando o petróleo foi atingido em Bakhtiari terra e os grandes Khans era dono de uma parte das receitas do petróleo da Pérsia, a sua enorme riqueza capacitá-los para garantir que apenas os melhores materiais foram utilizados para os seus tapetes. Muitas dessas peças suportar inscrições afirmando que foram tecidas ao fim de um determinado Khan, os quais construíram grandes mansões e palácios em todo o Chahar Mahall e em outros países no final do século XIX e XX.

Uma série de projetos bem conhecidos estão associados com o Bakhtiari, inclusive o chamado "jardim" ou padrão de retângulos contendo diferentes motivos "jardim-tile 'organizado em todo o campo, tapetes com árvores e flores, e tapetes com grande centro medalhões tapetes, se tribal ou oficina, são tingidos inteiramente com legumes cores e estão entre os mais esplêndida e viva de todas as tecelagens persas do século XIX-XX e início. O nó turco é sempre usado.

Bijar

Bijar é uma cidade na região do Curdistão. Ele teve uma história difícil e problemas. Mais recentemente, foi ocupada pelos russos e turcos durante a Primeira Guerra Mundial Logo em seguida ele foi atingido pela fome, reduzindo sua população de pouco mais do que o tamanho de uma pequena aldeia. Hoje Bijar tem cerca de 10.000 habitantes, que falam um dialeto incomum, parte antiga, parte persa moderno.

Bijar tapetes são altamente estimado por sua força e grande peso. As linhas são nós estão abatidos até extremamente compacto, dando a impressão de que existem duas camadas de fios de trama. Porque os nós são tão firmemente embalados tapetes Bijar nunca deve ser dobrado, pois isso pode forçar e até mesmo tirar os fios da urdidura - em vez rolá-los livremente e com cuidado, de preferência em torno de um tubo de reforço.

Os padrões são principalmente floral e apesar de sua construção robusta os projetos tecidos nessa região são únicas, e nunca foram copiadas por outras tribos. Os mais comuns estão lotados all-over padrões florais ou desenhos medalhão embelezar com Herat (ou peixe) motivos. Existem também alguns tapetes com um desígnio arabesco vermelho entrelaçado com ornamentos florais e um grupo bem conhecido de tapetes medalhão poderosos e esplendidamente colorido, com um medalhão central colocado sobre uma vasta área de campo plain ricamente colorido, geralmente vermelho ou azul. As cores tendem a ser profunda e rica, e pode incluir um certo tom de lilás só vi em tapetes Bijar.

O tamanho (6'6 "x 4'3") é a mais comum, outros tamanhos são raramente feito. Fios de teia e de trama são feitos de lã (por vezes fiados a partir de pelo de cabra) ou algodão. Os tapetes são tecidos com o nó turco.

Heriz

Heriz é realmente uma aldeia na região do Azerbaijão, embora o termo abrange os tapetes de numerosas pequenas aldeias da região, cada um distingue-se por pequenas diferenças no design. Os exemplos mais bonitos são tecidas em si Heriz e Ahar, Sharabiyan e Kargha.

Heriz tapetes são valorizados por sua robustez e resistência. Os críticos ridicularizam sua amarração bastante grosseiros, mas o seu encanto reside em um equilíbrio característico da cor e design.

Padrões tendem a ser marcadamente geométrica e tecelões favorecer o design do medalhão. O motivo central é geralmente grande, com quartos de repetição nos quatro cantos. As cores são geralmente sutil - predominantemente vermelho escuro e profundo azul brilhante - com os cantos do campo central, escolheu marfim. Motivos específicos são tradicionais para as famílias individuais.

Antes da Primeira Guerra Mundial, tapetes de seda bonitas foram produzidas aqui. Estes foram suave e fina, e muito grande. Heriz tapetes são ainda alguns dos maiores da Pérsia.

Pequenos tapetes feitos sob medida são raros, mas há aparentemente nenhum limite superior - 26 'x 19'6 "e maiores não são incomuns. Fios de teia e de trama são feitos de algodão. Os tapetes são tecidos com o nó turco.

Meshad

Meshad não tem longa história de tecelagem, mas no início deste século traficantes da vizinha Tabirz estabelecido um número de fábricas na cidade e trouxe tecelões para trabalhar lá. Os novos operários preferiram o nó turco, enquanto os habitantes locais continuaram a usar a Pérsia. Como resultado, os tapetes Mashad são peculiares na medida em que eles podem ser feitos com qualquer nó. Mais famosa fábrica da cidade, a fábrica Emogli, estava no seu auge na década de 1930. Ele era conhecido pela beleza delicada e harmoniosa coloração de seus tapetes.

Na virada do século, bem proporcionados projetos medalhão central eram muito populares, e eram valorizadas por suas curvas elegantes e arabescos intrincados. Projetos atuais incluem padrões florais estreitamente embalados e, às vezes, motivos de animais. As cores são caracteristicamente escuro, com motivos azuis e vermelhos profundos predominante. Fronteiras Mashhad geralmente são ricamente estampados.

A cidade também é conhecida por seus chamados tapetes Chuval em que o padrão corre transversalmente, ao invés de longitudinalmente como é habitual. Originalmente, estas peças foram feitas em sacos. Tradicionalmente, eles foram tecidas como "corpos de prova" por moças em idade de casar e, conseqüentemente, há muitos bons exemplos deste tipo.

Tapetes Mashhad são reconhecíveis por seus nós inclinados, se turco ou persa, e tendem a ter um profundo, pilha macia. Fios de teia e de trama são de algodão. Os tapetes estão disponíveis numa larga gama de tamanhos, embora geralmente os maiores são os mais atraentes.

Qashqa’I

O Qashqa'I é um povo tribal da região de Fars. Na Pérsia, eles têm uma reputação como a mais poderosa tribo, com o melhor cavaleiro e tecelões. Embora a maioria dos nômades já resolvido, eles continuam a usar teares horizontais tradicionais, de lã rotação de suas próprias ovelhas e mistura de corantes de acordo com receitas de plantas antigas.

Qashqa'I tapetes tendem a ser bastante frouxamente atado, e, portanto, não é tão difícil, tecelagem como poderiam ser. Eles são, no entanto, rica em detalhes, com muitos padrões únicos improvisadas a partir de temas tradicionais da família. Imagens mais populares incluem interpretações ingênuas de animais, pássaros, cavaleiro e árvores, e os motivos boteh clássicos. A árvore de três trunking da vida é um projeto comum. Fronteiras são bandas criativas e variadas, e listrado em ambas e são comuns. As pessoas Qashqa'I ter um grande amor pela cor que é muito evidente em seus tapetes, que são brilhantes, mas nunca colidindo. Uma determinada cor vermelho-ferrugem suave é particularmente valorizado.

O Qashqa'I também tece belas malas e cobertores de cavalo. Estes cobertores, conhecidos como juleh asp, tem longos tassles arredondar as bordas para manter moscas na baía, e fazer decorações de parede maravilhosos.

Qashqa'I tapetes são feitos geralmente de lã particularmente suave e brilhante. Fios de teia e de trama são também de lã, a urdidura por vezes feita de cabra escuro. Tamanhos mais comuns são 6 'x 4' e 5 'x 3'3 ".

Senneh

É Curdistão iraniano. Muitas vezes, é erroneamente dito por escritores que este é o antigo nome de Sanandaj, a bela capital da providência, mas isso não parece ser verdade. Senneh, como Rāvar perto Kerman, era uma pequena aldeia que produziu algumas tecelagens finas e que deu seu nome a todos os tapetes de ambos os seus próprios teares e de Sanandaj. Os tapetes são muito bem e fina, muito diferente de outros tipos de tapete feito no Curdistão.

Os projetos tradicionais variaram pouco ao longo dos séculos. Padrões são intrincadas e finamente trabalhadas, cobrindo todo o chão do tapete para dar um efeito de mosaico. Padrões florais delicados predominam. Paixão dos tecelões de intrincado padrão é tão grande que os exemplos de tapetes medalhão com motivos simples são extremamente raros. As cores são principalmente à base de vegetais, e são combinadas com excelentes julgamento artístico, de modo que é difícil de dizer que a cor, se for caso disso, predomina um tapete. Motivos tendem a ser marfim ou azul, polvilhado com toques de cores vivas, por vezes, no entanto, o efeito geral é maravilhosamente harmonioso. Fronteiras, de contrastes, geralmente são estreitas e simples.

Senneh também produz alguns dos mais belos killins em Iran. Estes são tecidas com o mesmo bom gosto e, frequentemente, incluem os mesmos projetos, como são usadas em tapetes atados. Sua trama tende a ser mais firme do que é a produção matando habitual ..

Os tapetes são tecidos em lã de alta qualidade, geralmente retirado de ovelhas jovens. Eles são muito tecido com o nó turco (embora, paradoxalmente, o "Senneh 'é um nome alternativo para o nó persa). Tamanhos mais comuns são 6'6 "x 4'3" e 5 "x 3'3" - em geral, tapetes maiores são bastante antigos. Exemplos muito bons são raros.

Arak

Arak é uma pequena cidade no oeste da Pérsia, que teve uma indústria de tecelagem de tapetes florescente desde o século XIX. A produção é totalmente comercial e foi estimulado pelas atividades de Tabriz comerciantes nos mercados de exportação. Sua iniciativa foi seguida pela entrada de empresas européias e americanas do tapete, começando com a empresa com sede em Manchester de Ziegler e CO em 1883. As empresas mantiveram suas instalações em Arak até o final da década de 1920. Eles importaram lãs pronto tingidos que eles deram para os tecelões, juntamente com gráficos dos projetos necessários.

A indústria foi baseado em casa, empregando tecelões, tanto na cidade e aldeias vizinhas. Tapetes tecidos sob a égide do Ziegler Companhia havia projetos baseados em pequenas repetindo padrões florais de origem Pérsia, mas adaptado ao gosto europeu.

Arak também serviu como um centro de coleta para os tapetes tecidos em aldeias vizinhas, como Ferahan, Meshkabad e Lilihan. Os tapetes finamente tecida de Ferahan foram distinguidos por seus excelentes desenhos com base em repetidas motivos floral-cone dispostas em painéis hexagonais, ou em versões meticulosamente trabalhado do padrão de Herat. Os produtos de Meshkabad são comparáveis ​​aos de Ferahan mas são mais grosseira em uma trama. Sarouk tapetes são identificáveis ​​por suas composições medalhão em greve, enquanto os produtos de Lilihan ter macios fluentes desenhos florais.

A vila cerca de 125 quilômetros ao sul de Isfahan ao longo da estrada Isfahan, Shiraz. Para o oeste da Abadeh é o planalto habitado pelos Fars.

Todos os tapetes Ābādeh são de fabricação recente, o ofício tapete de decisões neste distrito que remonta apenas algumas poucas décadas.

O design utilizado, portanto, não são aqueles transmitidos de geração em geração e ligados à tradição local, mas são tomadas a partir de tapetes de outras partes do Iran.

Ardebil

O nome Ardebil é associado com os muito belos exemplares do século XVI, como o exposto no Museu Victoria and Albert, em Londres. Estes foram os primeiros dos tapetes do tipo floral feito à ordem do tribunal safavida durante o reinado de Tahmasp Shah. Tapetes Ardebil recentes não têm nada em comum com estes espécimes antigos. São tapetes com motivos geométricos claramente inspirados pelos desenhos caucasianos. Em particular, eles se assemelham a tapetes Shirvan mas diferem deles em três aspectos.

Cerca de 18 milhas a oeste de Ardebil é a aldeia de Sarab, famosa pela produção de tapetes da escada. Aqui, também, os desenhos são geométricos e de influência caucasiana. A decoração mais freqüentemente encontrada é composta por diamantes formas sobre um fundo auto-cor, cor camelo geralmente natural.

Uma característica da fronteira Sarab fica na parte de fora, que é muitas vezes rematada com uma tira de tecido auto-cor da mesma cor que o campo. Tapetes Sarab são muito atraentes e de altíssima qualidade.

Ferahan

Ferahan é o destrict do Irã, situado entre as cidades de Arak e Saruḳ. Tapetes Ferahan foram tecidas na cidade de Mushkabad que foi destruída no século passado por Fath Ali Shah. Com exceção de alguns raros exemplos que vêm da aldeia de Ibrahimabad, eles não são mais feitas.

Tapetes de características semelhantes aos tapetes Ferahan são os tapetes Malayer antigos, tecidos, na cidade de mesmo nome, situada a oeste do distrito de Ferahan. Ferahan e Malayer tapetes, tecidos, na cidade de mesmo nome, situada a oeste do distrito de Ferahan. Ferahan e Malayer carpts são contidos e de muito alta classe. Eles são muito apreciados na Inglaterra e eram frequentemente ser encontrados nas grandes casas do período vitoriano.

Mazlaghan

Tapetes conhecidos por este nome vem da vila de Kerdar situado a nordeste de Hamadan. O campo desta tapetes tem um par de linhas em zig-zag ao longo do seu comprimento, que se assemelham a um raio. Dentro deste tema, há um medalhão central, enquanto os quatro trimestres estão intimamente decorado com rosetas e estrelas.

Mahal

Apesar do facto de que estes tapetes vem da cidade de Arak e seus arredores, como o fazem as duas seguintes, e Lilihan Mushkabad, elas são consideradas como pertencendo à família de Hamadan. Tapetes Mahal são facilmente reconhecíveis por causa de seus grandes nós e sua suavidade. A decoração é ou floral, mas com grandes motivos simples, ou de estilo geométrico com um diamante central. A fronteira é extremamente simples e é do tipo não-band tradicional.

Lilihan

Tapetes tecidos em um grupo de aldeias habitadas pelos armênios. Os tapetes Lilihan são reconhecíveis por suas belas cores, principalmente azul e azul em todas as várias tonalidades. Os projetos estão floral mas com grandes e estilizado motivos. Frequentemente Lilihan tapetes são produzidos na forma de pequenas a Kelley (6 pés x 12 pés). º A composição decorativa de fronteira é bastante variado repete os motivos florais do campo.

Mushkabad

Estes tapetes também são tecidas na região de Arak. Eles têm uma trama muito mesmo, um monte de profundidade e um design floral, que é rica em motivos e cores. A fronteira é o tipo três-band tradicional decorado com desenhos florais que repetem os do campo, ou com o motivo fronteira Herat.

Joshaqan

Aldeia situada no centro do Irã, a meio caminho entre Teerã e Isfahan. Joshaqan encontra-se em uma região montanhosa e é cercado por extensas plantações de choupos.

Yezd

A cidade de Yezd situada cerca de 150 quilômetros a oeste de Kerman, é conhecido throught Irã para a diligência de seus habitantes, que são de origem Zoroastro. Entre as várias atividades artesanais praticados no Yezd, o mais conhecido é de seda e algodão tecelagem que é realizado em um tear manual. É talvez por essa razão que até poucos anos atrás, o ofício da tapeçaria era praticamente inexistente. Os moradores descobriram que eles fizeram um melhor material de venda de lucro. Aos poucos, porém, a produção local caiu enquanto as importações aumentaram e os artífices de Yezd voltou ao tapete de decisões. A decoração dos tapetes Yezd repete os motivos Kerman, particularmente a do medalhão central em um campo auto-cor. Os dados técnicos também são semelhantes, mas em geral a densidade dos nós é um pouco menor.

Birjand

Tapetes Birjand são muito semelhantes aos de malha. Sua decoração, no entanto, normalmente é composta pelo design floral persa clássico, mas com um medalhão central round. Além disso, as cores são semelhantes aos tapetes de carpete Mesh e laranja utilizado na margem e alguns dos modelos de campos. Na aldeia vizinha de lama, tapetes semelhantes são feitas, que são identificáveis ​​pelo fato de que o campo é geralmente auto-colored e pilha é bastante grosso.

Luristan

Tapetes tecidos por Luri tribos que vivem na fronteira entre a área de Fars e Luristan, no sudoeste do Irã. As várias tribos Luri vêm do distrito montanhoso de Luristan, famosa pela civilização de mesmo nome que remonta dois mil anos antes de Cristo.

Saraband Mir

Região montanhosa ao sul da cidade de arak e para o elenco de Borujerd. Os tapetes desta localidade são tecidas em algumas aldeias sarabanda trinta. Durante várias décadas tapetes Seraband também foram tecidas em Arak.

Antes de descrever tapetes Seraband, talvez seja um bom momento para falar de tapetes Mir, que eram seus antecessores. A origem dos tapetes Mir é mais lenda do que história. Diz-se que estes tapetes, muito apreciada na Inglaterra e raros hoje em dia, foram tecidas na aldeia de Mal-e-Mir, principal cidade do distrito Seraband. Mal-e-Mir significa propriedade do Mir e Mir é um título que a reserva persas para os descendentes de Maomé e para as pessoas de alta posição e habilidade. A obra muito fino ea decoração agradável desses tapetes podem, portanto, ser atribuída à habilidade especial dos artesãos que as fizeram. Tapetes Mir são facilmente identificáveis ​​por causa de seu design, chamado Boteh-mir. Este é provavelmente o primeiro da série de aplicações variadas de este motivo.

Karaj

Karaj tapetes também pertencem à esfera de influência Tabriz, mas merecem uma atenção especial, também. Estes são geralmente pequenos tapetes (sedjadeh) ou corredores, tecidos na vila de Karaj que fica ao nordeste de Tabriz na estrada Tabriz-Ahar.

Veramin

Veramin tapetes são feitos na vila do mesmo nome situada em uma área agrícola cerca de 60 milhas ao sul de Teerã.

Teheran

Tapetes de Teerã não ter sido feito há algumas décadas porque os custos trabalhistas na capital persa são muito altos hoje em dia.

Teerã tapetes velhos e antigos têm a mesma decoração como veramins modernos. Dos três projetos Veramin, o mais utilizado nestes tapetes antigos era o padrão floral e animal. Tapetes Teerã são de qualidade muito boa e as cores sóbrias, mas agradável.

Outra decoração Teerã comum era o vaso de flores já descritos na seção de Isfahan. Estes tapetes também têm um campo bom-shaped. Estas amostras são muito apreciados pelos conhecedores e são praticamente sem preço hoje em dia.

Os Desenhos

Os desenhos dos taptes orientais, particularmente são originários da pérsia.

Refletem o povoado ou área em que foram feitos. Os estilos básicos destes desenhos podem ter centenas de anos. Geralmente, uma padronagem é adquirida do artesão do vilarejo local e então a família ou a oficina local, constroem o tear, fiam a lã, criam os corantes e tecem os tapetes. Mesmo nas menores aldeias ou em meio a tecelões, que vivem em tribos, o desenhista que é normalmente um artesão muito respeitado, cria uma padronagem que é comprada pelo tecelão. No oriente médio, o desenhista é sempre do sexo masculino, enquanto a tecelã é sempre uma mulher.

A composição do fundo pode ser classificada em sete tipos básicos: oração, medalhão, motivos repetidos, padronagem global, campo livre, painel e retrato. Dentro dessas categorias principais, os diferentes tipos e variações são praticamente infinitos. Como Asfaham  - Botesh – Mina khani – Vaso – Buque – Joshagan – Gul – Maharamat – Mahi(peixe) – Herati -  Caça – Paraiso – Eslimi – Khotai – Rize Mahi – Shah – Abasi – Lachak – Torsanj

O que é um kilim?

Kilim são tecidos feito a mão, originalmente com o propósito de cobrir o chão, mas são também usados em vãos de portas, mesas, cadeiras e com frequencia servem como travesseiros, almofadas, sacolas e até mesmo como proteção de selas e tendas.

Os Kilins são tecidos de maneira simples como uma tapeçaria, lançando linhas folgadas e horizontais (fios da trama) em torno de linhas persas e verticais (fios de urdidura) para criar as padronagens. Eles são também chamados de tapetes de tecimento liso, e estão entre os mais antigos tapetes de que se tem conhecimento.

Corantes Naturais

As plantas são a fonte predominante para os corantes naturias, mas eles também podem ser extraídos de insetos. As tinturas mais usadas feitas de plantas incluem a garança, que produz uma cor vermelha-amarronzada e é derivada da planta de mesmo nome; o índigo, cujo resultado é um matiz de azul-claro extraído das folhas do indigueiro; o lírio-dos-tintureiros, que dá uma tinta de cor amarelada ou dourada; romã, que produz um tom laranja; a cebola, que dá uma cor amarela ou de cobre; e a noz, o carvalho e outras castanhas que produzem nuances de marrom. Alguns dos insetos frequentemente usados são a cochonilha, que produz um tom amarelo.

As cores produzidas pelas plantas ou pelos insetos podem mudar drasticamente, dependendo do mordente a ser utilizado para fixar a tinta. Por exemplo, um corante de casca-de-cebola combinado com alúmen produz um amarelo-dourado, mas o mesmo corante preparado com cromo resulta em cor de cobre.

As tintas naturais são os mais antigos corantes utilizados e podem criar belos tapetes e cores. Dependendo da qualidade das tinturas, um tapete colorido com tintas naturias pode ser extraordinariamente valioso.

Como Conservar o Tapete

Lembre-se que o tapete sempre ficará longe dos raios de sol e longe da poeira, na realidade a poeira é a causa principal de destruição de seu tapete.

Qualquer mancha evidente sobre um tapete, comida, vinho, graxa de sapato, chá e café deve ser limpa imediatamente. Use sabão neutro ou suave, exceto sobre tapetes de seda que devem ser lavados uma vez por ano. Evite lavar o tapete em casa, uma lavagem profissional com as pessoas profissionais no ramo de tapete para conservar a sua obra- prima é fundamental. As lavanderias no bairro não são adequadas para lavagem de tapetes orientais. Varrer somente com vassouras piaçava e evitar o uso do aspirador de pó e vaporeto.

Espero que seja útil em esclarecer essas informações. Esses conhecimentos são produtos de muitas pesquisas em tapetes persas.

Coloco-me ao inteiro dispor para qualquer esclarecimento no motivo acima especificado, ou seja, lavagem, restauração, franja, cordão com equipe profissional a dispor para qualquer reparo ou orientação.